Abertura da Semana do Trânsito aborda a acessibilidade em Morro Redondo

Na segunda-feira (18), na abertura da Semana Nacional do Trânsito, que tem como tema “Minha Escolha Faz a Diferença no Trânsito”, foi realizada uma atividade através da Secretaria de Obras, Urbanismo e Trânsito a cargo do responsável pelo setor Fabricio Zanetti, no prédio da Câmara de Vereadores. Recentemente foi aprovado na Câmara o projeto do vereador Marcio Zanetti, na qual, a partir deste ano, acontecerá a Semana do Trânsito no município. Na primeira atividade, o tema abordado foi acessibilidade, com depoimentos de Rudinei Borges e Dieder Becker Dame, membros do Conselho Municipal das Pessoas com Deficiência de Canguçu.

“O objetivo foi trazer um pouco da história de lutas que tivemos em Canguçu neste tema, como conversas com Prefeitura, Câmara de Vereadores, comércio e comunidade sobre a acessibilidade, que foi sempre deixado para trás, ficando um passivo que vai dificultando o acesso às pessoas com deficiência, com mais idade, senhoras com carrinhos de bebê. Conforme diz a constituição, o direito de ir e vir é para todos”, relatou Borges.

“Sou cadeirante devido a um acidente de moto há 22 anos”, comentou Dieder, que também falou que o tema deve ser trabalhado na escola, que irá fazer com que as crianças cobrem dos seus pais, sendo a base para formar cidadãos mais conscientes. “Isso é um problema que as pessoas deixam de lado porque são sadias, mas quando acontece uma fatalidade é que vão se preocupar, e agora vou ter que aumentar o tamanho das portas, mexer no banheiro e muito mais”, afirmou.

Borges apontou que Morro Redondo está praticamente com todas as vias com calçamento, mas poucas existem calçadas e terá que ser feito como em Canguçu. “Estamos pleiteando que estimulem os moradores a fazerem as suas calçadas, que evitará que os pedestres andem no meio da rua, podendo ocorrer acidentes de trânsito”, disse, que passou a ser cadeirante devido a uma distrofia muscular e acrescenta: “Quantas pessoas chegam a uma certa idade ou não enxergam ou não caminham mais direito e andam em uma cadeira de rodas. Esse é um problema que qualquer um pode enfrentar. Em Canguçu estamos lutando para que o comércio ofereça acesso nas lojas também, com rampas ou rebaixamento de entradas”.

Ele ainda reforça que os moradores devem se preocupar em fazer as suas casas já com acessibilidade, e também apontou que 24% da população brasileira sofre algum tipo de deficiência.

“No ponto do trânsito, os cuidados que devemos ter são não usar direção com álcool. A pressa é uma das imprudências mais presentes. Ter o veículo como meio de transporte e não como vaidade, além de respeitar os limites de velocidades das vias”, comentou Dame. Borges ainda relatou a importância de ter um Conselho Municipal das Pessoas com Deficiência, que dá força para pleitear melhorias na acessibilidade.

Jornal Tradição Regional

Redação

Todos os textos publicados no Morro Redondo Online podem ser copiados e reproduzidos livremente, no todo ou em parte desde que a fonte seja citada. Nosso Portal também não se responsabiliza pelos comentários dos leitores e a publicação de conteúdos assinados, e, ou, de outras fontes.