Cavalos diagnosticados com mormo em Pelotas e Camaquã serão sacrificados

Serão analisados todos os animais das propriedades com casos registrados  Foto: Fernando Dias  / Seapa,Divulgação
Serão analisados todos os animais das propriedades com casos registrados
Foto: Fernando Dias / Seapa,Divulgação

Os dois equinos em Pelotas e Camaquã que tiveram confirmação da doença do mormo estão isolados e serão sacrificados nesta semana. A coordenadora regional da Inspetoria de Defesa Agropecuária (IDA), Paula Devincenzi, foi buscar a medicação em Porto Alegre para aplicar nos cavalos das propriedades particulares da região. Tanto em Camaquã quanto em Monte Bonito, localidade de Pelotas, as fazendas estão interditadas desde a suspeita da doença.

O CTG de Camaquã também está fechado porque o animal infectado teria passado pelo local. O próximo passo será a realização de exames nos cavalos das propriedades interditadas.

O mormo é uma doença infecciosa que acomete os equinos. Não há vacina e nem tratamento para a doença que é causada por bactéria. Ela é transmitida pelo contato com o material infectante, pelas vias aéreas, principalmente por secreções ou por bebedouros ou comedouros.

Fonte: Gaúcha Zona Sul

Redação

Todos os textos publicados no Morro Redondo Online podem ser copiados e reproduzidos livremente, no todo ou em parte desde que a fonte seja citada. Nosso Portal também não se responsabiliza pelos comentários dos leitores e a publicação de conteúdos assinados, e, ou, de outras fontes.