Crise no Hospital de Morro Redondo gera preocupação na comunidade

Pagamentos atrasados dificultam a gestão de hospitais em todo a região sul e no Estado. E em Morro Redondo a situação não é diferente e se agravou nesta semana.

Na última segunda-feira (26) nosso portal foi informado sobre a crítica situação que está vivendo o hospital Doutor Ernesto Maurício Arndt. Entre as principais baixas, está os atrasos no pagamento do funcionários, que desde outubro estão sem receber, além do não pagamento do 13° salário.

Uma paralisação iniciou por parte de médicos, enfermeiros e outros profissionais que atuam no hospital. Apenas atendimentos de urgência e emergência estão sendo disponibilizados. Arrasados, os funcionários reivindicam para que uma solução seja encontrada.

Após viagem a Porto Alegre na terça para tratar de assuntos do hospital, o prefeito Rui Brizolara concedeu entrevista ao nosso site na manhã de hoje (28) e falou sobre a situação e o que a prefeitura fez em apoio a instituição para esclarecer a comunidade.

Em 2016, no período compreendido entre fevereiro a setembro, o hospital deixou de receber os recursos oriundos do contrato porta de entrada – em que o governo estadual disponibiliza um valor de R$ 42 mil ao hospital.

Com este agravante, a prefeitura que já pagava os plantões da noite, finais de semana e feriado, passou a cobrir também – a partir de outubro – os plantões do dia, para que o hospital pudesse seguir com os atendimentos. Mas, segundo o prefeito Brizolara, o executivo teve que acabar antecipando o pagamento dos plantões referentes ao mês de outubro, que foram pagos no fim de novembro, deixando de cobrir com os plantões do dia, que são de responsabilidades do Estado.

O recurso do porta de entrada que está em atraso desde o mês de outubro cobre o pagamento dos funcionários e outras despesas do hospital, como os próprios plantões do dia. Ficando para a prefeitura, os plantões da noite e a ajuda com compra de medicamentos.

“Como o estado suspendeu durante um período o contrato (fevereiro a setembro), nós passamos a pagar os plantões do dia e da noite, ficando um passivo que o estado não cobriu e que nós acabamos bancando, e foi onde faltou recursos”, explicou Brizolara.

A esperança é que o estado repasse os valores atrasados, conforme foi tratado em uma reunião com a Secretaria de Saúde do Estado, o prefeito Rui Brizolara, e o vereador Claudio Silva em Porto Alegre. Na ocasião ficou firmado os repasses em atraso, o que permitirá um fôlego nas contas do hospital. Mas sem um data definida, podendo acontecer ainda esta semana.

Já o contrato porta de entrada poderá ser extinto, assim como nos demais hospitais do RS  que passam pela mesma situação. A ideia segundo a secretaria do estado, é que seja criado um novo sistema, em que os próprios hospitais em conjunto com as prefeituras possam gerir a verba repassada para facilitar a utilização dos recursos, e permitindo menos burocracia ao próprio Estado, que em alguns casos, não repassa os valores por falta de adequações que devem ser enviadas pelas coordenadorias regionais.

Repasses da Prefeitura

Até o mês de setembro foram injetados no hospital R$ 65 mil – plantões da noite, finais de semana e feriados. Depois desse período o valor subiu para R$ 89 mil – em virtude dos plantões do dia que foram incluídos entre outras despesas.

Além destes valores, o hospital também recebe cerca de R$ 19 mil – recurso do governo federal – pelos atendimentos do SUS, o que não chega a cobrir a folha de pagamento que gira em torno dos R$ 28 mil.

Para a atual diretora do hospital Leni Waltzer, a situação é muito crítica, mas agradeceu o fundamental apoio da prefeitura municipal. “Nossas dificuldades todas se resumem aos atrasos do estado. O momento é de usar a criatividade com o apoio da comunidade para que hospital não feche, a crise é regional”, falou. Ainda segundo ela, gastos deverão ser cortados. “Como estamos apenas atendendo com urgências e emergências, os trabalhos da cozinha, por exemplo devem ser momentaneamente suspensos, e daremos férias a alguns funcionários. O raio-x também deverá ter o contrato cancelado por enquanto”, disse.

Um apoio que o hospital poderá receber, será a destinação da sobra de verba da Câmara de Vereadores que passará por aprovação em sessão extraordinária ainda nesta semana.

Nova Administração

No dia 8 de dezembro foi realizada a eleição da nova direção do hospital de Morro Redondo. Em fevereiro quando acontecerá a primeira reunião do grupo de trabalho nossa reportagem irá conversar com a nova nominata para saber como foi a eleição, e quais os encaminhamentos para os rumos do hospital no próximo ano.

Redação

Todos os textos publicados no Morro Redondo Online podem ser copiados e reproduzidos livremente, no todo ou em parte desde que a fonte seja citada. Nosso Portal também não se responsabiliza pelos comentários dos leitores e a publicação de conteúdos assinados, e, ou, de outras fontes.