Delegado Regional fala sobre o duplo homicídio que chocou Morro Redondo

Delegado da 18° Delegacia Regional de Polícia, Márcio Steffens. Foto: Augusto Pinz/Canguçu em Foco.

A data de 22 de maio é lembrada com profunda tristeza na comunidade – entre os amigos, e principalmente pelos familiares dos jovens Milena de Souza Weber de 18 anos e Daniel Borges Tchutenhagen de 19 anos – que foram vítimas a um ano atrás de um crime bárbaro que deixou de luto a cidade inteira.

Nesta quarta-feira (24) nossa reportagem entrevistou o titular de Delegacia de Polícia Regional (DPR) de Pelotas Márcio Steffens que falou sobre o caso.

Segundo ele, 60 dias após o fato, a polícia conseguir fazer a identificação das supostas autorias do crime, já com a conclusão do inquérito e com a representação por prisões preventivas, uma delas, que foi cumprida no dia 12 de julho de 2016 contra A. C. L, na época, com 29 anos, mas que aguarda julgamento em liberdade, o que deve ocorrer no início do segundo semestre.

A polícia continua com trabalho de investigação para conseguir localizar o outro suspeito C. L, de 31 anos, que foi indiciado, e que ainda encontra-se na condição de foragido. “Seguimos o trabalho ininterrupto para conseguir localizá-lo e capturá-lo, mas nem sempre isso é possível no prazo que queremos. Trabalha-se com os meios que se tem mas há limitações. Não é por falta de esforço. Continua sendo uma prioridade achar o foragido que sumiu mesmo antes de ter a prisão decretada”, comentou Steffens.

Provas testemunhais e a materialidade dos fatos que encerraram as investigações, deixaram a polícia satisfeita com o inquérito que foi concluído e apresentado ao Ministério Público, ainda de acordo com o delegado da 18° Delegacia Regional de Polícia.

A ação judicial referente a ré localizada, deverá avançar nos próximos dias com as primeiras audiências que serão realizadas pela  1ª Vara Criminal de Pelotas.

Relembre

O crime foi registrado na Rua das Azaléias em frente à escola Alberto Cunha em Morro Redondo.

Daniel e Milena, estavam na praça quando foram atingidos pelos quatro tiros disparados contra eles. O jovem morreu no local do crime. A garota ainda chegou a ser levada a um hospital, mas não resistiu. Segundo a polícia, ele foi baleado três vezes, e ela, uma.

Ainda de acordo com as informações da polícia na época, a mulher presa teria planejado o crime junto com seu irmão, foragido desde então. Ele, que tem mandado de prisão preventiva decretada, era ex-noivo de Milena Weber.

Redação

Todos os textos publicados no Morro Redondo Online podem ser copiados e reproduzidos livremente, no todo ou em parte desde que a fonte seja citada. Nosso Portal também não se responsabiliza pelos comentários dos leitores e a publicação de conteúdos assinados, e, ou, de outras fontes.