Direção do Case de Pelotas anuncia congelamento de atividades dos internos

Foto: Divulgação/DP
Foto: Divulgação/DP

Após a rebelião que durou cerca de duas horas com queima de colchões e um monitor refém na noite desta segunda-feira (27) em Pelotas, a direção do Centro de Atendimento Sócio Educativo (Case) suspendeu nesta terça-feira todas atividades dos internos por tempo indeterminado, inclusive as visitas.

Os danos atingiram duas alas e a quadra de futebol. Uma perícia é aguardada para que seja feito um levantamento dos estragos. Sessenta e nove internos estavam na ala que tem capacidade para 40. O diretor interino, Jackson Barbosa, disse que a tendência é o número de internos aumentar e não vê saída para superlotação.

No mês passado, o Case Pelotas chegou a estar com 74 internos. A direção ainda não apurou os motivos da rebelião, mas na última, há seis meses, a razão foi as precárias condições do Centro.

Como foi 
Na noite de segunda, alguns adolescentes internados no Case, na avenida Cristóvão José dos Santos, Cohab Tablada, Zona Norte, se rebelaram, com a queima de colchões. A Brigada Militar (BM) invadiu a unidade, após autorização do juiz plantonista, com bombas de efeito moral para dispersar os internos que participavam do motim. Já o fogo foi contido em pouco tempo pelos bombeiros. Os familiares que acompanharam a ação estavam revoltados pela falta de informações.

Informações: Rádio Gaúcha e Diário Popular

Redação

Todos os textos publicados no Morro Redondo Online podem ser copiados e reproduzidos livremente, no todo ou em parte desde que a fonte seja citada. Nosso Portal também não se responsabiliza pelos comentários dos leitores e a publicação de conteúdos assinados, e, ou, de outras fontes.