Inter é eliminado da Libertadores

Foto: Rádio Gaúcha
Foto: Rádio Gaúcha

Com má atuação, o Inter está fora da Libertadores. Por 3 a 1, os colorados foram eliminados pelo Tigres, no México, na segunda partida da semifinal da competição.

PASSEIO DO TIGRES

O Inter praticamente não viu a bola no primeiro tempo. Os 60% do tempo em que o Tigres ficou com a bola não são mera estatística. Sem domínio, os colorados não conseguiram criar e nem armar jogadas de ataque.

Aos 17 minutos de jogo, Gignac, livre, cabeceou a sobra para dentro do gol de Alisson.

Aguirre não tinha o que fazer. O técnico está proibido de se comunicar com o auxiliar Enrique Carrera desde o primeiro confronto pela semifinal, após ser suspenso pela Conmebol.

Depois de sofrer o primeiro gol, o Inter, que já não produzia, parou em campo. Tanto que a primeira finalização em direção ao gol do Tigres só aconteceu quando faltavam 10 minutos para o primeiro tempo findar. 

E piorou: totalmente desengonçado, Geferson, na frente da área, pegou mal na bola ao tentar o corte e fez gol contra. 

O Inter foi para o intervalo perdendo por 2 a 0 e voltou para o segundo tempo sem modificações.

INTER PERDIDO

Um gol colorado levaria a partida aos pênaltis. Mas nem a formação e nem a postura do time mudaram em campo.

Aos 4 minutos, William, driblado dentro da área, fez pênalti infantil em Aquino, que havia passado como quis pelo lateral. Rafael Sobis foi para a bola e chutou fraco: Alisson defendeu.

A defesa do arqueiro colorado poderia ser a reação de um Inter apático em campo. Mas foi o Tigres que mostrou que queria continuar jogando. 

Depois de receber de Sobis, Damm foi à linha de fundo e alçou para Arévalo Ríos. Livre, o meia cabeceou de peixinho para dar ares de goleada ao placar: 3 a 0.

A essa altura, Sasha já estava em campo. Entrou no lugar de Nilmar. Foi dele a melhor chance colorada na partida. Na pequena área, o atacante completa de cabeça um desvio feito por Lisandro López. O goleiro Guzmán operou um milagre ao se esticar para salvar o Tigres.

A partir daí, os mexicanos não se preocuparam em produzir mais. E o Inter continuou sem conseguir jogar. Com o resultado, os colorados precisavam marcar dois gols para enfrentar o River Plate na final da Libertadores 2015.

Enrique Carrera substituiu o lateral William por Rafael Moura. Mas, na prática, pouca coisa mudou nos gramados de Monterrey.

Com 43 minutos, D’Alessandro ainda deu um sopro de esperança ao torcedor colorado ao descontar o placar para 3 a 1.

Na próxima quarta-feira, o Tigres recebe o River Plate em casa para a disputa da primeira partida da final. Apesar de ter feito melhor campanha que os argentinos, os mexicanos não podem decidir em casa, pois a Conmebol impõe que o confronto ocorra na América do Sul.

Já o Inter volta a campo no próximo domingo, contra a Ponte Preta, pela 15ª rodada do Brasileirão. A partida será em São Paulo.

Redação

Todos os textos publicados no Morro Redondo Online podem ser copiados e reproduzidos livremente, no todo ou em parte desde que a fonte seja citada. Nosso Portal também não se responsabiliza pelos comentários dos leitores e a publicação de conteúdos assinados, e, ou, de outras fontes.