Polícia Civil já identificou dois suspeitos de terem agredido o caminhoneiro

A Polícia Civil de Cristal trabalha em sigilo com dois nomes de suspeitos de terem agredido o caminhoneiro pelotense Renato Lange Krolow, de 44 anos, quando o motorista tentou furar o bloqueio de uma manifestação. Cinco testemunhas foram ouvidas durante a quinta-feira (4) e outras quatro devem prestar depoimento nesta sexta-feira.

A agressão
Em um posto de combustíveis em Cristal, a 102 quilômetros de Pelotas, Renato teria manifestado a intenção de seguir viagem durante uma manifestação. Ele pretendia furar o bloqueio de um protesto realizado por colegas na rodovia. Teria iniciado, então, a confusão, que acabou em agressão física. O pelotense solicitou ajuda à Polícia Rodoviária Federal (PRF), que iria conduzi-lo ao hospital e à delegacia para registrar a violência. A viatura da PRF chegou a escoltar o caminhão, mas a cerca de sete quilômetros de distância do local, os dois veículos foram apedrejados. O pedaço de asfalto perfurou o para-brisa e atingiu a região da traqueia de Renato, que morreu na hora.

Ele foi enterrado na tarde de quinta-feira, no 7º distrito de Pelotas.

Relembre:  Caminhoneiro pelotense morre após tentar furar bloqueio de manifestação

Fonte: Diário Popular

Redação

Todos os textos publicados no Morro Redondo Online podem ser copiados e reproduzidos livremente, no todo ou em parte desde que a fonte seja citada. Nosso Portal também não se responsabiliza pelos comentários dos leitores e a publicação de conteúdos assinados, e, ou, de outras fontes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.