Simon diz que aceitou concorrer à reeleição para ajudar Marina

Candidato do PMDB busca o quinto mandato no Senado Foto: Luiz Chaves / Divulgação
Candidato do PMDB busca o quinto mandato no Senado
Foto: Luiz Chaves / Divulgação

Em entrevista coletiva na sede do PMDB, em Porto Alegre, na tarde desta segunda-feira, o senador Pedro Simon confirmou que tentará a reeleição. Ele afirmou que sua maior motivação ao aceitar os apelos do partido é ajudar na eleição de Marina Silva (PSB) a presidente da República. O peemedebista substitui Beto Albuquerque (PSB), que virou candidato a vice-presidente depois da morte de Eduardo Campos, na corrida ao Senado.

Simon havia se recusado a concorrer em 2014, mas tinha intenção de percorrer o país para atender a pedidos para palestras e debater o futuro brasileiro. Com a morte de Eduardo Campos e a confirmação da candidatura de Marina, de quem é admirador, mudou seus planos. Ele contou que acabou sendo “coagido” pelo partido a participar da campanha depois que outros nomes da legenda descartaram disputar a vaga ao Senado. O peemedebista, por outro lado, demonstrava alegria e não escondia a satisfação em enfrentar mais uma campanha.

_ Estou aqui porque, no fundo, aqui é o meu lugar _ afirmou, arrancando aplausos de companheiros de partido que acompanhavam a entrevista.

 O senador, de 84 anos, disse que sua saúde está bem, mas que não poderá percorrer longos roteiros de campanha pelo interior sem fazer pausas para descanso. Simon afirmou que cumpre um chamamento do partido e admite que a eleição será difícil, com chance de derrota, o que poderia marcar definitivamente a sua aposentadoria. Entre os peemedebistas, no entanto, o clima é de otimismo. Integrantes da sigla avaliam que a popularidade de Marina poderá alavancar as candidaturas de Simon e de José Ivo Sartori, nome do PMDB para o governo do Estado.

_ Muita gente me falou isso, sobre a chance de perder. A possiblidade de perder realmente existe. Eu não sei como vai ser a repercussão, se vou cair no ridículo, mas pelo menos fiz o que achei que deveria fazer _ declarou o peemedebista.  

Ele gravou as primeiras propagandas na manhã desta segunda-feira. Os vídeos irão ao ar no horário eleitoral desta noite.

Questionado sobre a origem do avião em que voavam Eduardo Campos e Marina, Simon disse que o episódio será explica e alfinetou o PT, dizendo que primeiro os governistas terão de explicar “a roubalheira na Petrobras”.

Para Simon, a eleição presidencial é um momento crucial para o futuro do país. No entendimento dele, o modelo político atual, que seria representado por PT e PSDB, chegou ao esgotamento. Marina seria a opção para renovar.

_ Ela não vai ter maioria no Congresso, mas vai governar com o povo e com os quadros mais qualificados _ disse Simon, que cumprirá roteiros de campanha com Marina em São Paulo, Pernambuco e Paraná.

Embora pregue a renovação, o peemedebista se apresenta como postulante a um quinto mandato consecutivo ao Senado. Diante da aparente contradição, ele deixou a resposta a cargo de Edson Brum, presidente do PMDB no Estado.

_ As práticas e os compromissos do Simon não precisam ser renovados. A ética, a moral, a seriedade. Se é para mudar e não ter isso, então é melhor ficar com o velhinho _ disse Brum.

Fonte: Zero Hora

Redação

Todos os textos publicados no Morro Redondo Online podem ser copiados e reproduzidos livremente, no todo ou em parte desde que a fonte seja citada. Nosso Portal também não se responsabiliza pelos comentários dos leitores e a publicação de conteúdos assinados, e, ou, de outras fontes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.