Tarde de Campo trata da diversificação da Agricultura Familiar

Foi na tarde fria de 13 de junho que as famílias do núcleo da Associação de Desenvolvimento Comunitário dos Produtores Rurais do Morro Redondo – ADCPR-MR – da Comunidade da Reserva se reuniram na propriedade de Querenir Siqueira Nizolli e Idílio Nizolli/Andreia Cardoso Nizolli e Everson Nizolli para tratar de um tema muito especial: Diversidade da Agricultura Familiar. A propriedade foi escolhida para sediar essa reunão por ser um exemplo em diversificação. Lá são criadas várias raças de galinhas, perus e marrecos, suínos, bovinos de corte e leite, abelhas, além de se dedicarem a um pomar e à produção de hortaliças. A atividade foi organizada pela Emater, SMDR e ADCPR-MR e faz parte das reuniões ordinárias dos núcleos da Associação. Os participantes, além de integrantes do Núcleo nº 5, eram técnicos e outros convidados, como o Grupo de Apicultores do Morro Redondo, registraram quase cinquenta presenças.

Na abertura da atividade, as proprietárias Querenir (Clena) e Andreia deram as boas vindas aos presentes e puderam falar um pouco a história do local e porque apostam na diversificação. Dona Clena tem 50 caixas de abelhas e cuida de tudo sozinha: “Só peço ajuda quando não posso fazer o serviço sozinha. Caso contrário, sou eu e minhas abelhas”.

O Secretário Municipal de Desenvolvimento Rural Flávio Reis Almeida, falou da importância de fazer as reuniões da Associação nas propriedades. “Pois assim, as famílias trocam suas experiências e uma pode melhorar com o apoio da outra”, declara.

Já a Assistente Técnica Regional – ATR Mara Helena Saalfeld, representando o Regional da Emater de Pelotas, se disse muito feliz por estar participando da atividade e que acredita muito na extensão rural como uma parceira do agricultor. “Nossa Missão é contribuir para a melhoria da vida de vocês”, disse, na abertura do evento.

A Técnica Agrícola Andreia Moreira, da Emater de Canguçu, tratou de dois importantes assuntos: Doenças das Abelhas e Poda em árvores frutíferas. Na questão das doenças que afetam a apicultura, Andreia pode explicar algumas delas e trazer informações recentes do XXII CONBRAPI – Congresso Brasileiro de Apicultura, acontecido de 16 a 19 de maio em Joinvile/SC, do qual ela participou. Ainda ensinou uma técnica de controle do “carrapato” das abelhas, chamado Varroa, que pode dizimar um enxame se a infestação for muito alta. A técnica demonstrada utiliza ingredientes orgânicos e pode ser utilizada sem a preocupação de contaminação do mel, desde que seguida as recomendações corretamente.

Outro tema que chamou muito a atenção dos participantes foi a Poda de Árvores Frutíferas. Foram realizadas várias podas em diferentes plantas para demonstrar a diferença que cada espécie apresenta. Foram podadas figueira, laranjeira, parreira e macieira. Após a prática da poda, foi realizada a demonstração do preparo da Calda Bordalesa, um protetor para as plantas, confeccionado a partir do sulfato de cobre e cal e que é muito indicado para ser utilizado após a poda e como tratamento de inverno.

Após as demonstrações, Angélica dos Santos falou sobre o desenvolvimento do turismo no Morro Redondo e o desejo de que as famílias da agricultura familiar possam se inserir nesse processo e gerar renda a partir dessa possibilidade que se abre. “O turista quer ver a vida de vocês como ela é. Não precisa enfeitar nada. Quanto mais simples e rústico melhor. E o turismo aqui tem força por seu conteúdo colonial. E então vocês são peças principais desse movimento”, explica.

Ao final, os participantes puderam saborear um delicioso café, confraternizar e levar um preparado para poderem fazer a calda bordalesa em suas casas.

Redação

Todos os textos publicados no Morro Redondo Online podem ser copiados e reproduzidos livremente, no todo ou em parte desde que a fonte seja citada. Nosso Portal também não se responsabiliza pelos comentários dos leitores e a publicação de conteúdos assinados, e, ou, de outras fontes.