Termina nesta segunda-feira prazo para beneficiários de auxílio-doença marcarem perícia

Esta segunda-feira (20) é o último dia para que beneficiários do auxílio-doença convocados pelo INSS agendem perícia médica. Quem não agendar o exame pelo telefone 135 terá o benefício bloqueado até entrar em contato com o instituto. No Rio Grande do Sul, são 9. 986 convocados.

Quem recebe o seguro por incapacidade e não recebeu, pelo Correio, a convocatória, deve conferir se o nome consta na lista publicada no dia 1º de agosto no Diário Oficial da União. Até o mês de julho, foram realizadas quase 200 mil perícias em todo o país, sendo que 160 mil pessoas tiveram o benefício cancelado por não precisarem mais recebê-lo.

No início de agosto, o Ministério do Desenvolvimento chegou a divulgar que o prazo terminava no dia 5 deste mês, mas voltou atrás por uma diferença de interpretação do texto divulgado no Diário Oficial. Agora não há nenhum indício de prorrogação.

Confira o nome e agende a perícia

Veja a lista:
– Zero Hora desenvolveu ferramenta para buscar o nome dos convocados.
– Pesquise pelo número do benefício ou nome do segurado (sem acentos).
– Será possível agendar, evitando o bloqueio do benefício, até as 22h de segunda-feira (21).

Ao ligar para o 135, tenha em mãos:
– O CNPJ ou CPF do empregador.
– Documentos pessoais (RG, CPF).
– O número do benefício.
– Papel e caneta.

Marque na agenda:
– A data marcada deve ser respeitada. Do contrário, o benefício é bloqueado.
– Caso se encontre internado ou enfermo e não puder comparecer à perícia, deverá pedir a uma pessoa de confiança que informe, em uma agência do INSS, sobre o impedimento o quanto antes.
– Se faltar sem apresentar justificativa, o benefício será bloqueado até que uma nova perícia seja agendada.
– É necessário que esse representante apresente, na ocasião, a identidade do segurado e um documento que comprove o impedimento.

Na perícia:
– Use uma pasta para colocar todos os documentos necessários na revisão, como atestados, laudos, receitas de medicamentos e exames desde a concessão do auxílio.
– Não deixe nada de fora. Laudos anteriores também devem ser incorporados na documentação porque ajudam a mostrar ao perito que o problema é antigo.
– O médico perito vai analisar os documentos originais. Mas leve cópias para o caso de ser necessário que algum laudo fique no INSS.

Discordância do resultado:
– Caso não concorde com o resultado da perícia, o segurado pode recorrer junto ao próprio INSS ou à Justiça.

ZERO HORA

Redação

Todos os textos publicados no Morro Redondo Online podem ser copiados e reproduzidos livremente, no todo ou em parte desde que a fonte seja citada. Nosso Portal também não se responsabiliza pelos comentários dos leitores e a publicação de conteúdos assinados, e, ou, de outras fontes.